terça-feira, 22 de junho de 2010

Casal sexomaníaco


Texto originalmente publicado na revista Circuito Guarulhos, 06/2010


Texto e Ilustração: Diego Calvo

Dentro de um barzinho, com várias mesas e cadeiras, gente inda para lá e para cá, quando um casal chama a atenção. Sem saber onde começa o homem e onde termina a mulher, engalfinhados, dividindo o mesmo assento, se destaca na multidão o casal sexomaníaco.

Esse tipo de casal se diferencia dos demais por sofrerem um sério distúrbio visual que se resume em ver um quarto de motel em todo e qualquer lugar. Elevador, saída de incêndio, mesa do escritório, poste de rua, banco traseiro de fusca, entre outros tantos. Todos os lugares são adequados para a prática sexual.

No vocabulário quatro frases são muito comuns: “Se eu te pego?”, “Nossa, tem uma tremenda química entre nós!”, “Relaxa, ninguém está vendo!” e “Amor, atrasou! E agora?”. Quando estão entre amigos, não existe constrangimento, as bocas, infinitas vezes, se encontram, mordiscadas nos lábios e palavras assanhadas ao pé do ouvido são de praxe, tudo como se não estivesse ninguém ali.

Aficionados por filmes para maiores de 18 anos, os casais sexomaníacos são os grandes responsáveis pelo dinheiro que entra na indústria pornográfica, ficando atrás, apenas, dos nerds e adolescentes na puberdade. Além de serem assíduos frequentadores de sex shops.

Quando estão longe um do outro, a identificação se torna impossível. No armário de roupas, tem sempre um lugar secreto para esconder espartilhos, fantasias e outros acessórios.

Podem se conhecer em qualquer lugar, visto a deficiência visual de ver em tudo um motel em potencial. É um casal em plena mutação, geralmente dura um pequeno período chamado como “começo de namoro” ou até “começo de casamento”, depois migram para qualquer outro tipo de casal ou migram cada um para o seu lado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário