segunda-feira, 26 de julho de 2010

Jogadores de Vôlei chegam ao Brasil depois da conquista




Por: Diego Calvo
Fotos: Diego Calvo

Pois é, fui lá eu fazer a chegada da seleção brasileira de Vôlei no aeroporto internacional de Guarulhos.
Cheguei correndo pois tinha a informação que eles iam desembarcar em torno das 12h30. Ignorando totalmente em qual terminal os ditos cujos estariam, corri, claro, para o mais longe. Explicarei melhor, como sabem bem, a lei de Murph existe e atua com maestria nestes casos, pois saí do terminal 1, onde o motorista do jornal parou, corri para o 2, vi que não tinha nenhum repórter e, com raiva, corri de volta para o 1.

Cheguei achando que tinha perdido a foto, no entanto, graças ao belo sistema aéreo do Brasil, a seleção só chegaria as 14h20. A informação chegou através de um fotografo com a ênfase de “chegará por volta de...”

Como era de se esperar, 14h20 estávamos todos em uma das saídas do desembarque, o comentário era “você vai ver, esta todo mundo aqui e eles vão sair por lá” (apontando para a saída ao lado). Já não bastava o atraso do vôo, os jogadores só apareceram 20min depois. Cada vez que a porta abria, todo mundo mirava, mas eram apenas cidadãos comuns. A primeira leva, três jogadores que, para confirmar os comentários saíram pelo outro lado, aí toca todo mundo correr, não ficaram muito tempo e fizeram o possível para fugir das lentes.
Depois desta, os demais jogadores iam saindo, um por vez, cada qual para um lado, dificultando muito nosso trabalho que se resumiu em correr para lá, fotografar, voltar para cá e também fotografar.

No final deu tudo certo, não almocei, mas fiz o que tinha de fazer e, ainda por cima, ganhei uma cessão de exercícios na faixa correndo de um lado para o outro. Vai-lha me Deus!




















































Nenhum comentário:

Postar um comentário