sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Chuvas e a politicagem de todos os tempos



Foto: Diego Calvo

Por: Diego Calvo

Todo verão, ano após ano, as chuvas castigam a região metropolitana de São Paulo. Sabemos exatamente onde inunda e onde desbarranca. Árvores caem sobre fios de energia e ficamos sem luz, telefone e esperança.

Por cerca de 4 meses do ano isso acontece em pontos específicos, fica então a pergunta: o que as autoridades fazem nos 8 meses que restam sem enchentes?

Todos sabemos a resposta: nada! No entanto, embora eles não façam nada, nós também não fazemos e quando a chuva passa, esquecemos que no ano que vem tem mais e 8 meses passam calados!

Isso acontece em outros setores também. Outro dia li em um B.O. que “o suspeito foi abordado próximo a uma boca de fumo conhecida na região”. Se a tal boca de fumo é conhecida, porque ninguém faz nada com ela? Porque não apreender as drogas, prender os vendedores e os cúmplices?

Aliás, sabemos de onde vem as drogas, porém, nossas fronteiras estão entre as menos vigiadas do mundo. Nossa lei propicia e incentiva o crime com os tais regimes semi abertos.

Nessa corrente, o Tribunal Eleitoral ignora a ficha suja de Paulo Maluf e o torna elegível. Em uma entrevista ele diz: “Sempre acreditei na justiça, uma das únicas coisas que funcionam neste país!” Funciona para quem? Para eu que trabalho todo dia? Ou para você que pega ônibus lotado, se espreme entre o sovaco à esquerda e o cotovelo à direita, levando na bolsa arroz, feijão e ovo dentro de uma marmita feita na china?

Funciona sim, para o senhor Maluf e sua corja, isso porque 500 mil de nós viu a carinha sorridente do Paulão na urna e apertamos a tecla verde. Agora passaremos mais quatro anos vendo sua fuça, sorrindo mais ainda, com R$26.700,00 no bolso todo o mês.

E estes R$26,7 mil? A votação mais rápida de todos os tempos! Para votar meros reais de aumento de salário mínimo leva-se meses, por vezes anos, no entanto o aumento de R$ 10.200,00 foi votado em um dia, passando, inclusive, pelo senado.

Não, nós não levamos desaforo para casa! Se alguém fecha nosso carro no trânsito, saímos, xingamos, mostramos o dedo, chegamos as vias de fato e até morremos. Mas quando Malufs, Tiriricas, Lulas, Cardosos, Rousseffs e a corja toda nos passa a mão na bunda, rindo e levando nosso suado dinheiro, nos calamos e, assim como as chuvas, 4 anos hão de passar calados!

E venham as festas!

Foto: José Cruz/ABr


Um comentário:

  1. sa 4:11 da madrugada, e eu to lendo tudo e rindo demais, pq o que eu posso fazer além disso?...
    adorando tudo!

    ResponderExcluir