segunda-feira, 25 de julho de 2011

“Amy Winehouse morreu!!”

Do pó vieste, no pó viveste e ao pó retornaste!

por Diego Calvo
do BC

“Amy Winehouse morreu!!” Eu me assustei com a notícia passada a mim por minha esposa, claro, depois que acordei sábado quase de manhã. “Morreu?” respondi com uma pergunta.


O fato de eu ter me assustado não é, como se diz, “nossa! Ela morreu!”, mas sim “nossa! Como ela durou!”

Minha amada mulher ainda me falou: “fica de olho no noticiário que quero saber do que ela morreu!” Pensei comigo, “será que, neste caso, vão desconfiar de outra coisa a não ser overdose?”

Se eu fosse resumir quem era essa mulher, seria assim: Amy Winehouse foi uma cantora branca, com voz de negra que teve uma vida curta e uma “longa carreira”!... sacou?? “Longa carreira”!! (a parte da carreira foi um comentário da minha amiga Crislaine ).

E ela fez sucesso por isso mesmo. Os brancos, principalmente do lado norte do globo, adoram a música dos negros, no entanto, não gostam muito da pessoa negra, por isso, assim que uma cantora branca surge, fazendo o que uma negra faz com a voz, logo estoura nas paradas de sucesso (foi assim com o Elvis e com o Eminen). No caso da Amy, ainda tinha algo a mais que ajudava, ela era judia.

O que ela fez com a fama? Cheirou tudo em uma “longa carreira” de cocaína (agora você sacou?!) e muitas outras drogas.

“Do pó vieste, no pó viveste e ao pó retornaste!” Assim deveria estar em sua lápide.


Nenhum comentário:

Postar um comentário