segunda-feira, 4 de julho de 2011

A maldita praga dos carecas



Por Diego Calvo

Sou nascido em 1980, portanto, curti o início da década de 90. Essa época foi, praticamente, o final das gangs de rua ligadas a algum tipo de ritmo musical.


Tinha redbangers, punks, grunges, rock a billy´s, góticos, skate punks (do qual fazia parte este blogueiro vosso) entre outros. Os mais odiados de todos, com certeza, eram os carecas que, na época, se dividiam em carecas do ABC (radicados nas cidades da grande São Paulo que agregam estas iniciais) e os carecas do subúrbio (estes ficavam, principalmente, na zona leste de São Paulo).

Existiam brigas medievais, mas a diferença mais marcante é que grupos brigavam contra grupos. Geralmente era carecas contra punks, carecas contra rock a billy´s, ou seja, carecas contra todo mundo.

Não sou contra grupos de jovens que se identificam um com outro, mas hoje em dia, o que se vê é a mais pura covardia. Estes animais, em forma de manada, atacam pessoas em desvantagem numérica e em desvantagem animalescas.

Quer brigar amigo, entra em uma arena junto com o Anderson Silva! O cara fala fino e é negro, do jeito que você gosta, mas quero ver você durar muito. Não, aposto que não quer isso! Você e seus amigos querem bater em mendigos, homossexuais sozinhos e mulheres desprotegidas. Se há um animal na face da terra que merece entrar em extinção, esse animal é você!

Um comentário: