segunda-feira, 26 de março de 2012

Ai meu Deus, essa foi boa!



A VELHA E JESUS
Sem que eu desse esmola, ela me calou.

Por Diego Calvo
Foto Cena do Filme "Dogma"

Estava eu voltando para casa depois de um dia exaustivo de trabalho. Ao parar em um farol, uma mulher velha, maltrapilha, desprovida de beleza e com cara de derrota, se aproximou de meu carro com uma das mãos estendida.

-- O senhor poderia me dar um trocado?

-- Não tenho nada! – respondi com as mãos juntas, como quem reza.

Para minha surpresa, ela deu um tapa no meu braço e disse, categórica.

-- Você é doido é?! Você tem Jesus!


Aquilo, meu caro leitor, fez com que minha boca selasse. Enquanto ela se distanciava para mostrar sua miséria ao carro de trás, fiquei pensando no que tinha me dito.
Eu tenho Jesus? Mas o que é ter Jesus?

Lembrei o que aqueles que conviveram com ele haviam escrito. Primeiro, que Jesus era o caminho. Se eu o tenho, então tenho um caminho.

Imaginei qual seria e descobri que são vários. Tenho um caminho que me leva mais rápido para o serviço e outro que uso quando o primeiro está intransitável. Tenho um caminho que me leva de volta para casa, outro que me leva para a farra, outro que me retorna a família e outro que leva da sala para o quarto.

Tenho também um caminho mais amplo, aquele que sigo imaginando onde vai dar, mas que é tão incerto quanto os percursos dos velhos bandeirantes, desbravadores dos interiores paulistas. Este eu sigo com uma névoa parecida com aquela que desnorteava os jogadores do “Enduro” no videogame, pai de todos os outros, Atari.

Pois bem, tenho um caminho.

A segundo coisa que eles escreveram é que o Mestre era a verdade.

Sim, eu tenho minhas verdades. Por exemplo, é verdade que às vezes minto, mas uso esse recurso quando a verdade é dura demais, ou que a pena dela seja o sofrimento de quem eu gosto. Para não mentir aqui, eu também uso a mentira para me safar de algo comprometedor.

É verdade também que prefiro a liberdade à ditadura, o descanso ao trabalho, o bife ao peixe e a batas fritas à salada. Prefiro ser escolhido a escolher, prefiro carro à bicicleta e elevador à escada.

É verdade que mijo de pé, que não lavo os cabelos todos os dias e que raramente uso pente.

Sim, eu tenho verdades, ainda que muitas são mentiras.

A terceira e ultima coisa que aqueles seguidores, denominados apóstolos, escreveram, é que o Cristo era a vida.
Eu tenho uma vida? O que é ter uma vida? Acredito que quando você acredita no seu caminho e na sua verdade, você tem uma vida.

Então, diante de tudo isso, independente de ateísmos infundados e igrejas ridículas, posso dizer que, aquela senhora estava certa, e eu tenho Jesus.

Mesmo assim, não dei nenhuma moeda, mas, se a ver de novo... não darei também, pois acho que ela vai usar o dinheiro para comprar substâncias ilícitas, como crack ou calcinhas comestíveis.   

Um comentário:

  1. Seu texto é bem interesssante ,parabens .
    Mas que vc é um viajão ...isso é .Rs rs

    ResponderExcluir