quinta-feira, 5 de abril de 2012

Denúncia




OSSOS HUMANOS À MOSTRA EM CEMITÉRIO DE GUARULHOS
Cruzes e restos de caixão estão jogados pelo caminho

Por Diego Calvo
Fotos Diego Calvo

Queria eu, caro leitor, decorrer sobre um assunto mais leve cabendo minha acidez corriqueira. Mas hoje, infelizmente, irei denunciar um descaso que nada tem de engraçado.

Visitamos, eu e o repórter Alfredo Henrique, o cemitério municipal da Vila Rio, em Guarulhos, após uma denúncia. Na verdade, meu irmão mais velho foi no enterro de um amigo da família (onde não pude ir por estar trabalhando, como sempre), e me relatou que havia uma parte um tanto abandonada pela direção.


Relatou, também, que tinha restos de caixão e a terra estava sem grama. Claro, de pronto passei a pauta para meu editor e ele decidiu deixá-la para ser realizada na semana santa. E assim foi.

No fim da tarde de quarta feira, 4 de abril de 2012, entramos no cemitério como quem vai visitar um tumulo qualquer. Ninguém impediu nossa passagem. Quando chegamos no local indicado, vimos, de primeira, pedaços evidentes de alças de caixão jogados no chão. Fotografei.

Porém, o pior ainda estaria por vir. No meio da terra revirada, misturado a pedaços de madeira, um osso. A principio achei ser de galinha, mas os outros pedaços que avistei me convenceram tratar-se de um osso de mão humana.

Depois deste, com o olho treinado e sabendo o que procurar, achei uma vértebra, depois outra. Misturado à terra, o maior pedaço, uma bacia. Sem contar com as dezenas de cruzes quebradas e jogadas no chão.

Não tenho frescura. Quem conhece do trabalho de um repórter fotográfico de rua, sabe que enfrentamos cenas com corpos em decomposição, mutilados e até queimados (reduzidos a cinzas). Mas esta cena me revoltou por tratar-se de uma situação de descaso com o corpo, ainda que sem vida, humano.

Um local onde era para guardar, culturalmente, os restos mortais de nossos semelhantes, está entregue a má administração do local. E se fosse seus os restos mortais? Ou de seu ente querido?

Questionados, dois funcionários não quiseram falar conosco. A prefeitura de Guarulhos respondeu, em nota, que irá apurar o fato e tomar as providencias cabíveis.

Espero, sinceramente, que o respeito prevaleça e que as providencias sejam tomadas com severidade. 





 



    

Nenhum comentário:

Postar um comentário