terça-feira, 23 de outubro de 2012

Suplicy desafina mas não perde a linha


No comício, na frente de autoridades mil, Senador incorpora o não morto Bob Dylan e rouba a cena que pertencia a Lula


Por Diego Calvo
Foto/Vídeo Diego Calvo

O sr. Eduardo Matarazzo Suplicy, independente do mandato de senador da república, do partido e da @#$#$%# de sua ex-mulher, é um cara muito engraçado. Em seu discurso, no dia 22/10/2012, o velhote roubou a cena, recitando Racionais e cantando Bob Dylan.

O vídeo abaixo é o refrão da música, entoada sem nenhuma afinação. O senador mais parecia um daqueles velhos bêbados que cantam no caraoquê no bar da esquina. Ao som dos gritos das pessoas feias que compõe a militância do PT (e convenhamos, ô povo feio!) Suplicy mostrou de onde vem a veia artística de seu filho, o Supla.

Ninguém ali entendia patavinas o que ele estava cantando, afinal, na periferia da cidade de Guarulhos (São Paulo), o som ouvido, importado do Rio, é o funk.

Com esta característica, o PT vai se fortalecendo ao transformar comícios em espetáculos circenses. Completando a moda, vem com o seu "Bolsa Família" para dar empirismo ao dito popular: “pão e circo”.

Ainda assim, com as comparações sarcásticas a parte, dentre os políticos o velho Suplicy (desde novo) é, de longe, o que mais me agrada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário