quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Iara dos Santos, a Shark-Girl da Marvel



Marvel lança uma mutante brasileira, nordestina para ser mais exato, e tenta levar o público tupiniquim no bico

--> -->
Por Diego Calvo
Imagens Divulgação 
Colaboração Tiago Santos-Vieira

Depois de transformarem o Lanterna Verde emGay e matarem o Homem Aranha, o mundo dos quadrinhos vem com outra surpresa, uma mutante Brasileira. Iara dos Santos é moradora da praia de Boa Viagem, no Recife, e, quando atormentada, se transforma na Mulher Tubarão, ou, em inglês, Shark-Girl (sim, na gringa o nome fica muito mais bonito).

O universo, como as empresas de quadrinhos são chamadas, que nos deu este presente de grego (explicarei por que é de grego logo abaixo) foi a Marvel. Iara, como uma mutante, está sendo pleiteada pela equipe do professor Xavier, os X-Men, na revista publicada em 14/11, “Wolverine and the X-Men”, que sairá no Brasil em 10 meses (se tudo der certo).

A história é a seguinte. Iara tem uma fome descomunal de comer peixe cru ao estilo Smigol, ou seja, peixes em seu estado natural, com tripas e tudo mais. Em uma destas ânsias, ela é pega comendo peixes em um barco de pesca. Os marujos ficam fulos, não mais que Iara ao descobrir que os pescadores estavam atrás de barbatanas de tubarão.

Segundo o site “Marvel Wikia”, Iara é recrutada pelo mutante Anjo, que a leva para a mansão de Charles Xavier. Mas a garota é de temperamento forte e, não se sabe por que cargas d’águas, a Mística se envolve na história tentando força-la a aliar-se aos mutantes maus. Ela fica puta e, numa briga violenta, a garota prova o sangue da vilã e a coisa fica preta, pois, tubarão que é tubarão, adora sangue.

Ainda não há muita coisa da história, só que o Anjo resgata a garota e a leva de volta para a mansão.

Por que isso agora?

A Marvel é uma empresa, e já dissemos aqui que ela segue algumas tendências para conseguir atingir uma determinada fatia do mercado. Foi o caso do Daken, filho do Wolverine, e da morte do Homem Aranha. Ora, com a crise que atinge a Europa e a América do Norte, nada de surpresa ela querer angariar o público Brasileiro dando-nos uma mutante nordestina.


Presente de Grego

Posso pagar com a língua, mas um personagem destes não tem condições nenhuma de vingar. Colocaria no mesmo patamar (ou mais abaixo) que o Homem Canguru e o Homem Molecular. Ridículo.

Com tanto animal existente no Brasil, foram escolher um que não nos representa nem de longe. Além de ser um personagem feio para danar, a Shark-Girl não tem lá tantos poderes. Ela é forte, rápida e consegue respirar debaixo d’água. Só! Presente de Grego literalmente.

-->

Um comentário:

  1. "Um animal que não nos representa nem um pouco"

    Representa o perigo dos ataques de tubarão nas praias do Recife.

    Não que eu me orgulhe disso... mas é algo genuinamente brasileiro sim.

    A Marvel podia embarcar mais ainda no "politicamente afrescalhado" e colocar a nova heroína para defender o meio ambiente e combater a pesca predatória - outra coisa que, infelizmente, é muito comum no Brasil.

    ResponderExcluir