sexta-feira, 1 de março de 2013

Programa chinês mostra últimos minutos de condenados à morte



Para a apresentadora, ele concede ouvidos para quem está sendo calado; para o governo, ele ensina que “pau que nasce torto”, ou se endireita ou morre!


Por Diego Calvo
Foto Reprodução

Que a China é um lugar estranho, onde se come gafanhotos e escorpiões, não é nenhuma novidade. Mas os diretores de um canal estatal de televisão foram além de comer pênis de touro e resolveram investir em um reality show diferente: O dia-a-dia de um condenado a morte.

O programa teve sua estréia em 18 de novembro de 2006 e saiu do ar há pouco tempo, por ordem do governo. Chamava-se “Entrevista Antes da Execução”. Ele passava no Canal TV Jurídica, na província de Heman.

Funcionava assim: Dias, horas e, muitas vezes, minutos antes da morte por injeção letal, a entrevistadora Din Yu, sentava na frente do condenado e abria as câmeras e os microfones para o pobre coitado.

Din Yu, apresentadora do programa
O que fez o programa sair do ar foi que ele ganhou as primeiras páginas dos jornais do mundo, quando um canal Britânico resolveu fazer um documentário e comprou os direitos de imagem das entrevistas.

Como a publicidade foi negativa para a China, seus generais decidiram estragar a diversão dos mais de 40 milhões de telespectadores. Sim, meu caro leitor, 40 milhões assistiam, semanalmente, ao programa (o que não é nada para a China).

Isso soa estranho para nós, já que em nosso país não tem pena de morte, mas lá, na China, se você espirrar em local errado, estará sujeito as punições severas do governo ditatorial local.

Apesar das autoridades não revelarem o número de execuções, organizações internacionais estimam que pelo menos um milhar por ano são mortos, isso é mais de três chineses “criminosos” passando dessa para melhor por dia.

A explicação do governo, para autorizar e bancar as entrevistas, é que o programa tem cunho didático, na linha do “olha o que fazemos com quem mija fora da bacia. Então não mije, tá!”.

Perguntada se não se sentia mal em explorar os últimos dias de condenados em seu programa, Din Yu respondeu: “Muitos deles me agradecem por ouvi-los”.

O que voe acha, eu não sei, caro leitor, mas vamos sugerir que a globo contrate alguns chineses condenados para o BBB 14. O paredão passaria a chamar “Cadeirão Elétrico” e, em vês de 1 milhão, o vencedor ganharia o direito de morar no Brasil. Macabro né?!

É o mundo como ele é... e pode ser muito feio!

Fontes: ABCNews e Los Angeles Times 

Nenhum comentário:

Postar um comentário